quarta-feira, 9 de junho de 2010

Verdade inconveniente

Quem tiver saco de ler isso, agradeço!

Muitos falam de filosofia do bonsai e o que ela trás para a nossa vida e tal, na teoria é muito bonito, se envolver com bonsai e a filosofia Zen, mas isso é muito pouco praticado pra não falar que NÃO é praticado! Até pouco tempo atrás, ainda tinha essa "esperança" de querer acreditar que a filosofia oriental do bonsai e a mística que a envolve pudesse de fato, amenizar ou melhorar certas circunstancias, que vemos no cotidiano mas, não o faz.  As vezes, achamos que é só aqui que acontece rivalidades e golpes baixos, mas não é só aqui. No mundo todo é assim, é o famoso "campeonato mundial de seres humanos"! Mesmo você não querendo participar ativamente, você participa passivamente. Na Europa é assim, nas Américas é assim, na Oceania é assim e até nos países da Ásia é assim, ou você acha que os bonsaistas japoneses morrem de amores uns pelos outros e aplicam ao pé da letra a tal filosofia generosa do bonsai?! Jamé!
Não é por que uma pessoa faz bonsai que ela é necessariamente "do bem", o bonsai não purifica a alma e a eleva à um plano superior de evolução, pois o ser humano não se encaixa a um universo estranho à sua rotina apenas por ser uma linha de pensamento da arte bonsai...o certo seria mas, não é assim na prática! Somente está no caminho do bem quem faz o bem. Ninguem se transforma para fazer parte de alguma coisa, nem pra bem nem pra mal, apenas continua sendo o que ela é. O instinto humano e os costumes são predominantes sempre, o que pode acontecer é de que a pessoa veja novos horizontes a intermédio do bonsai e faça uma reflexão, solamente assim é viável vislumbrar alguma possível melhora. Tu pode comprar a idéia e trazer alguns ensinamentos para a tua vida, mas isso como fato isolado, não irá lhe dar uma mudança de 180 graus!
Picuinhas, inveja, "trampulinagens", não estão alheios ao bonsai e nem a qualquer outra espécie de grupo de praticantes de atividades de qualquer natureza. O que acontece é que, apenas a pessoa transmite para relação inter-pessoal no universo do bonsai, o seu jeito natural de lidar com as situações no cotidiano. Há de fato, pessoas muito bondosas no bonsai, com espírito nobre de querer ajudar os outros e também há as pessoas desagradáveis (e muitas outras variantes).  É triste? É sim, porém como diria Nelson Rodrigues "é a vida como ela é!" .
Não se iludam com palavras, chavões e discursos falando da nobreza puritana da arte e da filosofia, que quem mexe com bonsai é um ser diferenciado e blá blá blá, não é nada disso!
Coisas que teoricamente andam aliadas ao bonsai, são de fatos grandes virtudes, mas irei frisar novamente, só fazer e não compreender não adianta! São valores que teríamos que ter e que o “bonsai” nos faz lembrar, cabe a quem julgar conveniente, adotar-lo. Lembrando que, se tratando o bonsai como arte, propriamente dita, envolve questões de auto-estima e ego, e cutucar-los é pode ser algo desastroso, a vaidade do ser humano é um terreno pantanoso, muito perigoso e que se tem que andar com cautela.
Para concluir, em qualquer atividade, em qualquer parte do mundo, sempre existirá pessoas boas que irão lhe estender a mão pessoas ruins que só esperam oportunidade de lhe dar uma rasteira. Fico contente em ter encontrado muitas pessoas boas que me ensinaram e que à mim dedicam amizade e certamente isso é recíproco. Faça bonsai e viva bonsai, não deixe que a relação com certas pessoas o desmotive! Faça bonsai pra você!

Saludos!

4 comentários:

Fabiano costa disse...

Tá certo amigo, o bonsai como arte tem que ser feito da pessoa para ela mesma, a vaidade é uma armadilha para todos, os que sabem e os que não sabem, os que entendem e os que não entendem o caminho, bonsai-do.
Abraço,
Fabiano.

Leandro disse...

Caracas!!! Suo obrigado a dizer essa palavra mesmo!!! Gosto muito de ler seus textos Guilherme, mas neste suas palavras foram precisas e filosóficas, não colocarei mais caracteristicas, pois passará por "rasgação de seda". Um abraço pra você e a todos que interessa a sua linha de pensamento!!!

t... disse...

ÉÉÉÉ....como eu digo... Seres humanos! A grande fogueira das vaidades, alimentada pela prepotência, arrogância, inveja, egoísmo,é a grande causa da barbárie da nossa sociedade.
Quando o "EU", predomina, não tem jeito, só começando do zero.
Devemos persistir e sermos seletistas em nossas amizades...e deixemos os outros se destruirem.
Viva o Bonsai, mas tenho tido muita dificuldade de aprofundar ainda mais meus conhecimentos, pois vejo desconfiança entre as pessoas e tenho desenvolvido minhas técnicas sozinho e com muita observação.
Meu celular é 8446-6682,
Meu e-mail é eduardofelipeignacio@yahoo.com.br e gostaria muito de participar da reunião do dia 31/07/2010, por favor me contatem para eu saber onde será.
Viva o bonsai...

EDUARDO MINSSEN disse...

Guilherme:
Em linhas básicas é isto. Eu, no fundo, não quero ser zen. Mas o trato com as plantas em geral pode é suavizar, "amolecer" a dura labuta do dia-a-dia. Isto já vai deixar as pessoas - algumas, ao menos - mais sociáveis, mais protetoras da natureza.